Sede de Infinito

Infinito é o que se encontra para além de tudo, do conhecimento, da imaginação, do alcance da mão. Ter sede do que se encontra para lá da linha do horizonte é a imensa vontade de alcançar o que não vemos, o que não possuímos, o que não conhecemos, é por fim, uma forma de perseguir o saber e o conhecimento, se assim o desejarmos, conduzir o sonho através do tempo.

15 julho, 2007

POESIA AO AMANHECER


Olá! Bom dia, Amigos

Hoje é dia de anos e lembrei-me que duas das minhas paixões fazem anos em Abril, outras em Março ou em Maio, quase nenhuma fora da Primavera. Aliás, quantas mulheres nascem neste período entre o fim do Inverno e o início do Verão! Mas claro, esta época de floração, dos dias que crescem, das manhãs plenas de serenidade e as tardes de calmaria, estes dias em que lentamente pousamos as roupas e nos tornamos leves, levaram o poeta a dizer "quero fazer contigo o que a primavera faz com as cerejeiras". Como nunca descobri o que a primavera faz com as cerejeiras, nunca fiz nada. Limitei-me a amar e, já não foi pouco.

CORO DA PRIMAVERA

Cobre-te canalha
Na mortalha
Hoje o rei vai nu

Os velhos tiranos
De há mil anos
Morrem como tu

Abre uma trincheira
Companheira
Deita-te no chão

Sempre à tua frente
Viste gente
Doutra condição

Ergue-te ó sol de verão
Somos nós os teus cantores
Da matinal canção
Ouvem-se já os rumores
Ouvem-se já os clamores
Ouvem-se já os tambores

Livra-te do medo
Que bem cedo
Há-de o sol queimar

E tu camarada
Põe-te em guarda
Que te vão matar

Venham lavradeiras
Mondadeiras
Deste campo em flor

Venham enlaçadas
De mãos dadas
Semear o amor

Ergue-te ó sol do verão
..........

Venha a maré cheia
Duma ideia
P'ra nos empurrar

Só um pensamento
No momento
P'ra nos despertar

Eia mais um braço
e outro braço
Nos conduz irmão

Sempre a nossa fome
Nos consome
Dá-me a tua mão

Ergue-te ó sol de verão
.............

JOSÉ AFONSO, in "O Nosso Amargo Cancioneiro"

"Os meninos que me perdoem por dedicar este livro a uma pessoa grande. Mas tenho uma desculpa de peso: essa pessoa grande é o melhor amigo que eu tenho no mundo inteiro."

ANTOINE SAINT-EXUPÉRY, in "O Principezinho"

"Conhecer o meio, compreender as causas e consequências da prostituição, perceber mudanças que se verificam no "meio", é indispensável para planear acções que visem a promoção das jovens e mulheres que são prostituídas."

INÊS FONTINHA, Socióloga. Directora de "O Ninho"

Porto, 06 de Abril de 2004

1 Comments:

Blogger Lurdes said...

Gostei da tua reflexão sobre a Primavera, as cerejeiras e o amor! Puseste-me um sorriso na cara!!! E olha que ainda há pouco estava a chorar...

A minha vida anda um bocadinho confusa e com isto tudo o dia 15 passou...

Beijinhos e boas férias

7:43 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Free Web Counter
Site Counter