Sede de Infinito

Infinito é o que se encontra para além de tudo, do conhecimento, da imaginação, do alcance da mão. Ter sede do que se encontra para lá da linha do horizonte é a imensa vontade de alcançar o que não vemos, o que não possuímos, o que não conhecemos, é por fim, uma forma de perseguir o saber e o conhecimento, se assim o desejarmos, conduzir o sonho através do tempo.

13 dezembro, 2008

LEITURAS


Esta é a história de Zorbas, um gato grande, preto e gordo. Um dia, uma famosa gaivota apanhada por uma maré negra de petróleo deixa ao cuidado dele, momentos antes de morrer, o ovo que acabara de pôr. Zorbas, que é um gato de palavra, cumprirá as duas promessas que nesse momento dramático lhe é obrigado a fazer: não só criará a pequena gaivota, como também a ensinará a voar. Tudo isto com a ajuda dos seus amigos Secretário, Sabetudo, Barlavento e Colonello, dado que, como se verá, a tarefa não é fácil, sobretudo para um bando de gatos mais habituados a fazer frente à vida dura de um porto como o de Hamburgo do que a fazer de pais de uma cria de gaivota…Com a graça de uma fábula e a força de uma parábola, o grande escritor chileno oferece-nos neste seu livro uma mensagem de esperança de altíssimo valor literário e poético.


Luís Sepúlveda nasceu em 1949 no Norte do Chile, e tem percorrido quase todos os territórios possíveis da geografia e das utopias de Punta Arenas a Oslo, de Barcelona a Quito, da selva amazónica ao deserto da República Árabe Saráui, das celas de Pinochet aos barcos do movimento Greenpeace. Autor de uma obra multifacetada, que compreende contos, romances, peças de teatro e ensaios, têm-lhe sido atribuídos inúmeros prémios, de entre os quais se destacam o France-Culture para o melhor romance estrangeiro, o Relais-H para o melhor romamce de evasão e o Litérature de la Jeunesse para o melhor livro para jovens, todos respeitantes à obra O Velho que Lia Romances de Amor. Perspicaz narrador de viagens e aventureiro nos confins do mundo, Sepúlveda concilia com sucesso o gosto pela descrição de lugares sugestivos e paisagens irreais com o desejo de contar histórias sobre o Homem, através da sua experiência, dos seus sonhos, das suas esperanças.Em 2006, foi nomeado Cavaleiro da Ordem das Artes e das Letras de França.


Uma grata surpresa, este conto num Sepúlveda que apenas conhecia de um mundo mais profundo onde os sonhos e a aventura marcavam a vida e a contemplação do homem, mas esta descoberta vem lembrar-nos que o nosso primeiro sonho é o mundo das crianças e das histórias que as encantam, sobretudo quando transportam mensagens de um amanhã em que muitos de nós queremos acreditar.

2 Comments:

Blogger Lurdes said...

Feliz Natal, cheio de estrelas brilhantes!
Beijinhos

12:31 da tarde  
Blogger Gasolina said...

Um beijo.

Com Um Fantástico Natal agarrado.

12:54 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Free Web Counter
Site Counter